Voz Missionária

Liturgia para o Dia dos pais

Cristo nos reconciliou com o Pai. Somos da família de Deus!

ACOLHIDA

Dirigente: "porque, por Ele (Jesus), ambos temos acesso ao Pai em um Espírito. Assim, já não sois estrangeiros e peregrinos, mas concidadãos dos santos, e sois da família de Deus" (Efésios 2.18,19).

Por meio de Jesus Cristo fomos reconciliados com Deus, agora temos livre acesso ao Pai que nos acolhe como filhos e filhas. Somos da família de Deus! Assim, com alegria, saudamos a família da fé.

ADORAÇÃO

Dirigente: Leitura Bíblica: Salmo 89.26
"Ele me invocará, dizendo: Tu és meu pai, meu Deus e a rocha da minha salvação".

Oração de adoração
- Cânticos

[sugestões: Louvor a Deus Pai (HE 112); Jesus em Tua presença (www.cifraclub.com.br/asaph- borba/jesus-emtua-presenca/); Seja engrandecido (https://www.letras.mus.br/asaphborba/172316/)]

CONFISSÃO

Dirigente: Leitura Bíblica: Lucas 15.12

"o mais moço deles disse ao pai: Pai, quero que o senhor me dê a parte dos bens que me cabe. E o pai repartiu os bens entre eles".

O filho pródigo nos é apresentado na parábola como aquele que se aproximou do pai e lhe pediu a parte dos bens que lhe cabia. Esse filho fez um pedido movido pelo interesse em viver a sua vida como bem lhe parecia, preferencialmente, distante da família. "quero que me dê!", são as palavras desse filho.

Sabemos que podemos nos achegar a Deus com confiança e apresentarmos a Ele as nossas petições, no entanto, precisamos refletir se porventura temos tratado nossos momentos de oração apenas como oportunidades para dizer:

"Dá-me Senhor".

Confessemos ao Senhor se assim temos agido. Confessemos também se não temos observado com sabedoria as motivações de nossas petições, não considerando se o que estamos pedindo pode nos afastar de Deus e da família da fé.

Oração de confissão

Palavra de Esperança

Dirigente: Leituras Bíblicas: Lucas 15.20ª; Salmo 103.13,14

"Vinha ele ainda longe, quando seu pai o avistou e, compadecido dele, correndo, o abraçou e beijou".

"Como um pai se compadece de seus filhos, assim o Senhor se compadece dos que o temem. Pois ele conhece a nossa estrutura e sabe que somos pó".

LOUVOR

Litania de Louvor: Reconciliados/as, somos da família de Deus!

[Litania elaborada a partir da parábola do filho pródigo (Lucas 15.11-32) e dos textos bíblicos de Efésios 1.3-5; 2.3; Romanos 5.8-10; 2 Coríntios 5.17- 19; e Efésios 2.1,5,17-19.]

Homens: Certo homem tinha dois filhos e com eles convivia em sua casa.

Dirigente: Bendito seja Deus, nosso Pai celestial, o qual nos abençoou e nos escolheu em amor para sermos filhos e filhas por meio de Jesus Cristo, pois essa era a Sua vontade.

Mulheres: Até que um dia, o filho mais novo procurou o pai e lhe pediu sua parte nos bens da família. Ele partiu para uma terra distante para viver a sua vida conforme a sua própria vontade.

Dirigente: Também nós, andávamos segundo as inclinações da nossa natureza, fazendo a nossa própria vontade, seguindo nossos pensamentos e inclinações para o mal.

Homens: O filho gastou tudo o que tinha, perdeu amigos e amigas. Arrependeu-se de suas escolhas, lembrou-se da grandeza de seu pai. E mesmo crendo não merecer qualquer misericórdia decidiu voltar.

Dirigente: Mas Deus, que é amor, veio ao nosso encontro. E mesmo ainda sendo pecadores, Cristo deu a sua vida por nós, provando assim o grande amor de Deus.

Mulheres: O pai avistou o filho e correu em sua direção cheio de compaixão. Ele o abraçou e lhe beijou, lhe deu novas vestes e celebrou cheio de alegria. Pois o filho que estava perdido foi achado. Estava morto, mas reviveu.

Dirigente: Deus, nosso Pai, nos reconciliou por meio de Jesus Cristo, não atribuindo condenação a nós por causa de nossas transgressões. Ele nos deu vida nova, e tão somente por sua graça fomos resgatados.

Homens: O filho mais velho indignou-se com a aceitação festiva pela volta do filho mais novo. Mas o Pai, amorosamente foi ao seu encontro para conciliá-lo, confirmar para com ele o seu amor e ensiná-lo sobre compaixão, misericórdia e graça.

Dirigente: E assim, reconciliados/as, somos novas criaturas, as coisas antigas já passaram, tudo se fez novo. Cristo evangelizou a paz, para quem estava longe e para quem estava perto, e por meio dEle ambos temos acesso ao Pai, somos agora da família de Deus!

- Cânticos de louvor
[sugestões: Corpo e família (www.letras.mus.br/corinhosevangelicos/1262023/); Amor fraternal (HE 393)]

Ofertório

EDIFICAÇÃO

[sugestão: antes da reflexão pastoral, realizar a dramatização sugerida]
Dramatização do pai e do filho pródigo

[a partir desta dramatização, abordar a importância da compaixão, amor e perdão que precisam ser vividos em família. Enfatizar também a importância do testemunho que os pais podem dar a seus filhos para que aprendam a exercer compaixão e perdão.]

- um pai, representando o pai do filho pródigo.

Pai = Todo pai e mãe deseja que seus filhos estejam por perto. Quando eles e elas precisam ficar longe, ficamos cheios de saudades, mas quando um filho ou filha resolve ir embora de casa porque não quer mais conviver com a família e quer viver sua vida de forma perigosa e temerosa, não tem pai e mãe que não sofra com essa decisão. Foi difícil aceitar a escolha de meu filho, e embora o tenha deixado partir, não houve um dia sequer que não pensasse nele. Por isso, quando tempos depois ele retornou, meu coração se encheu de alegria. Eu o perdoei, o aceitei de volta como meu filho e não como empregado como ele queria. Meu filho estava de volta, era preciso celebrar, e foi o que fizemos.

- um jovem, representando o filho pródigo.

Filho pródigo = Quando jovem, não pensei muito nas consequências das minhas escolhas. Queria curtir a vida com os amigos e amigas e não ficar trabalhando nas terras de meu pai. Quanta decepção! Pois quando meu dinheiro acabou, meus amigos e amigas me abandonaram. Passei frio e fome, cheguei ao ponto de desejar comer as comidas que eram dadas aos porcos. Pensava na casa de meu pai e tudo o que tinha perdido. Lutei contra a vergonha, e voltei pra casa de meu pai, disposto a ser um de seus empregados e não mais seu filho. Até hoje não consigo expressar em palavras o que senti quando meu pai me viu e correu ao meu encontro. Ele me abraçou tão forte, me beijou, me deu roupas e sandálias novas, e até mesmo colocou um anel em meu dedo. Como se não bastasse isso, ainda preparou uma grande festa para celebrar a minha volta. Quanto amor meu pai teve por mim! Seu perdão me resgatou e me reconciliou com minha família. Quero seguir o exemplo de meu pai, quero ter esse mesmo amor em meu coração.

Narrador/a = Deus, nosso Pai, nos reconciliou consigo mesmo por meio de Cristo Jesus. E reconciliados/as, somos da família de Deus! Como filhos e filhas, recebemos ainda o ministério da reconciliação. Sigamos, pois o exemplo de amor e compaixão de nosso Pai celestial, proclamando ao mundo a mensagem da reconciliação.

DEDICAÇÃO

Convidar os filhos e filhas e/ou jovens e crianças para que possam ir até aos pais presentes e, segurando em suas mãos, os conduzam até ao altar, permanecendo com eles para um momento de intercessão. Esse momento pode ser feito ao som de uma música.

Oração intercessória pelos pais

Senhor, te agradecemos pelo propósito eterno de abençoar todas as famílias da terra. Como família da fé, oramos para que pais, filhos e filhas, consigam criar laços de afeto e de compromisso, cuidando de cada um/a com amor.

Oramos para que nossos lares sejam um porto seguro, onde possamos descansar e renovar as forças não apenas físicas, mas emocionais e espirituais.

Oramos pelos pais que, às vezes, precisam ser mães; pelas mães que, às vezes, precisam ser pais; e pelos avós que precisam ser como pais e mães.

Intercedemos hoje especialmente pelos nossos pais, agradecendo por aqueles que já partiram, mas continuam presentes em nosso coração. Que a cada dia, possamos aprender a partilhara vida em família com fé e sabedoria. Amém.

BÊNÇÃO

Liturgia elaborada por Rosiléia Flausino Dias Araujo
Igreja Metodista Central em São Bernardo do Campo, SP
HE = Hinário Evangélico