Voz Missionária

Senhora, a máscara!

Em algum momento da sua vida você já se reconheceu como “mascarada”? É importante refletir sobre isto e perceber como anda o nosso caráter, a nossa índole. Eu estava em um shopping com meu esposo, no momento em que São Paulo havia avançado para a fase verde, e resolvemos ir tomar um café. Para isso, tiramos a máscara. Após esse momento, nos levantamos e saímos andando, quando entrei em uma loja bem em frente ao local do café. Ao entrar, o atendente imediatamente me disse: – “Senhora, a máscara”! Ao sair do café esqueci de colocar a minha máscara e naquele momento o atendente só permitiria a minha entrada na loja se eu estivesse com minha máscara. Esta é a situação que estamos vivendo.

A vida toda ouvimos para não usarmos “máscaras” e sim sermos verdadeiras, nos apresentarmos por inteiro. No entanto, hoje a máscara é a nossa proteção e o uso dela, uma obrigação. E os nossos olhos serão o canal de comunicação para aqueles que desejarem falar conosco. Mateus 6.22 nos diz: “São os olhos a lâmpada do corpo. Se os teus olhos forem bons, todo o seu corpo será luminoso”. Nossos olhos hoje representam a fonte de revelação da verdade que temos dentro de nós, daquilo que acreditamos e sentimos. Não podemos nos aproveitar do momento para fingimento, para silêncio diante dos desafios, que estamos vivendo como sociedade, questões de saúde, sociais e de percepção da vida que está tão vulnerável. Por isso, temos que ser as mais verdadeiras possíveis. Neste novo ano que se inicia, vamos refletir sobre a temática: “Mulheres comprometidas com Deus – Anunciam as boas novas da salvação”, onde teremos o privilégio maravilhoso de espalhar a mensagem de amor e igualdade que o Senhor Jesus transmitiu em sua caminhada.

Temos que ser realmente verdadeiras, mesmo que nossos rostos estejam cobertos, mas os nossos olhos devem estar abertos para a vida e nossos relacionamentos; as nossas mãos e nossas atitudes devem demonstrar o amor eterno do nosso Deus, porque o nosso amor não deve ser só de palavras e de conversa. Deve ser sim, um amor verdadeiro que se mostra por meio de ações (1 João 3.18). A máscara não será empecilho, a menos que nos comportemos como pessoas “mascaradas”.

Um garoto comentou com o amigo que estava curtindo usar máscara, pois quando a mãe lhe chamava à atenção ele mostrava a língua para ela, à vontade. Será que não agimos assim também? O que mais desejo é que as pessoas possam ver além das máscaras estilizadas, enfeitadas, que usamos como proteção, que ela não seja mais atrativa do que nossas ações e o nosso olhar para a vida, que estejamos íntegras e dispostas a anunciar deste amor, que o Espírito Santo em nós, nos faça mulheres comprometidas com o evangelho de Cristo, que não haja em nós nenhum desvio de conduta, e que possamos revelar quem somos em Cristo Jesus.

Usar máscaras é uma prevenção à saúde, tendo cuidado consigo e com o próximo. No entanto, ser “mascarada” no sentido pejorativo é ofender o amor verdadeiro de Cristo Jesus pelas nossas vidas.

Que neste novo ano o nosso caráter e nossa visão de mundo sejam forjados por Deus até que o caráter amoroso e bondoso de Cristo se veja em nós.

Um novo ano abençoado para você!
Um abraço com o aroma suave do bom perfume de Cristo.


Ivana Aguiar Garcia
Presidente da Confederação Metodista de Mulheres