Voz Missionária

Novembro / Dezembro 2021

A esperança do novo de Deus

A capa da nossa revista do 1º bimestre deste ano mostra o rosto de uma mulher coberto pela máscara, com lágrimas nos olhos e com a pergunta sobre o que a máscara escondia. Lembrando que o mundo inteiro escondia suas tristezas, incertezas, medos e inseguranças por trás da máscara.

Após esse tempo tão difícil, com tantas vidas perdidas, tanto sofrimento, graças ao avanço da vacinação e muita intercessão clamando pela misericórdia divina, a situação começa a mudar e surge a esperança. As igrejas estão retornando aos cultos presenciais, dentro de todo um cuidado protocolar, seguindo o distanciamento necessário e mantendo o uso de máscaras. Alguns estados já falam da não obrigatoriedade do uso de máscaras.

A foto da capa desta edição mostra uma jovem segurando a máscara e com os braços abertos para um novo tempo que, esperamos seja de superação, novos encontros e saúde para a população do mundo, nosso País e nossas igrejas.

Os braços abertos simbolizam o encontro presencial que faz tanto bem ao nosso coração, que consegue apagar nossa tristeza, dor, sofrimento e enxugar lágrimas, pois nada como um olhar solidário, um sorriso que se abre para ajudar a vencer as tristezas. Temos muito serviço pela frente: ir ao encontro das pessoas que enfrentaram perdas e vivem um tempo de incerteza e insegurança e levar uma mensagem de esperança. Precisamos ser a voz de Deus para acalmar os corações. Não podemos esquecer que estamos vivendo o tempo de Natal e a esperança é a tônica deste período.

Como mulheres cristãs e discípulas de Jesus, o nosso novo “normal” é o novo de Deus que esperamos e precisamos partilhar.

Que esta Bênção de Natal seja realidade em nossas vidas:
Que Deus lhe abençoe para ser resposta do seu amor neste Natal e sempre.
Que o sopro do Seu Espírito lhe fortaleça para sustentar aos desanimados.
Que tuas palavras saiam do coração e abram caminho buscando paz com justiça.
E que, com teu canto de alegria, porque o Salvador nasceu, possas tornar feliz e alegre o Natal daqueles que estão infelizes e tristes.
Amém.

(Pastora Cristina Dinoto, Igreja Evangélica Metodista Argentina, Mendoza, Argentina)