Voz Missionária

Celebração de Natal

Adoração

Acolhida
Natal é, pois, o caminho de Deus, que se esvazia e se doa, em direção a nós que somos preenchidos e recebemos nova vida, imerecidamente. Disso resultam alegria e louvor a Deus. O "mundo" não o reconhece, nem o recebe, mas o Natal não nos deixa esquecer que Deus se importa conosco.

Leitura Bíblica
1 Consolai, consolai o meu povo, diz o vosso Deus.
2 Falai ao coração de Jerusalém, bradai-lhe que já é findo o tempo da sua milícia, que a sua iniquidade está perdoada e que já recebeu em dobro das mãos do Senhor por todos os seus pecados.
3 Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do Senhor; endireitai no ermo vereda a nosso Deus.
4 Todo vale será aterrado, e nivelados, todos os montes e outeiros; o que é tortuoso será retificado, e os lugares escabrosos, aplanados.
5 A glória do Senhor se manifestará, e toda a carne a verá, pois a boca do Senhor o disse.
6 Uma voz diz: Clama; e alguém pergunta: Que hei de clamar? Toda a carne é erva, e toda a sua glória, como a flor da erva;
7 seca-se a erva, e caem as flores, soprando nelas o hálito do Senhor. Na verdade, o povo é erva;
8 seca-se a erva, e cai a sua flor, mas a palavra de nosso Deus permanece eternamente.
9 Tu, ó Sião, que anuncias boas-novas, sobe a um monte alto! Tu, que anuncias boas-novas a Jerusalém, ergue a tua voz fortemente; levanta-a, não temas e dize às cidades de Judá: Eis aí está o vosso Deus!
10 Eis que o Senhor Deus virá com poder, e o seu braço dominará; eis que o seu galardão está com ele, e diante dele, a sua recompensa.
11 Como pastor, apascentará o seu rebanho; entre os seus braços recolherá os cordeirinhos e os levará no seio; as que amamentam ele guiará mansamente – Isaías 40.1-11.

[Vivemos tempos difíceis, mas neste tempo de Natal, a Palavra de Deus nos afirma que Deus continue ao nosso lado. Ele continua sendo o nosso Deus a nos guiar a cada dia.]

- Cântico congregacional: Estrela da Alva [HE 1]

Estrela da Alva,
Cristo Jesus,
liturgia
Sol da Justiça,
Do dia a luz!
As densas trevas,
Vem dissipar,
E nossas almas Iluminar.

Dos mortos, vida,
E salvação
Dos que, contritos,
Buscam perdão;
Tu, que consolo
Aos tristes dás,
Vem, mesmo agora,
Vem dar-nos paz!

Ó Rei divino!
Supremo Deus!
Dono da terra,
Do mar e céus!
Vem o pecado
Já subjugar,
E, soberano,
Em nós reinar.

Oração de Adoração

Confissão
Leitura bíblica: Colossenses 3.12,13
Portanto, como eleitos de Deus, santos e amados, revesti-vos de sentimentos de compaixão, de bondade, humildade, mansidão, longanimidade, suportando-vos uns aos outros, e perdoando-vos mutuamente, se alguém tem motivo de queixa contra o outro; como o Senhor vos perdoou, assim também fazei vós.

[Natal é tempo de interceder para que o amor de Deus nos revista de bondade, humildade, paciência, suporte e perdão e sejamos capazes de ir na direção do/a outro/a com gestos e palavras amorosas. Nem sempre temos nos esforçado para que isto aconteça. Peçamos perdão ao Senhor.]

Oração silenciosa
Oração audível

- Cântico congregacional: Adoremos ao Senhor [HE 8]

Oh! Vinde, fiéis, triunfante, alegres,
Sim, vinde a Belém já movidos de amor;

Nasceu vosso Rei, lá do Céu prometido,
Oh! Vinde, adoremos a nosso Senhor!

Olhai, admirados, a sua humildade,
Os anjos o louvam com grande fervor,
Pois veio conosco habitar encarnado;
Oh! Vinde, adoremos a nosso Senhor.

Por nós, das alturas celestes baixando,
Em forma de servo se fez, por amor,
E em glórias a vida nos dá, sempiterna;
Oh! Vinde, adoremos a nosso Senhor.

Nos Céus adorai-o, vós, anjos em coro,
E todos na terra lhe rendam louvor;
A Deus honra e glória contentes rendamos;
Oh! Vinde, adoremos a nosso Senhor.

Palavra de esperança: Romanos 5.1.
Justificados, pois, mediante a fé, temos paz com Deus por meio de nosso Senhor Jesus Cristo.

Louvor e Ação de Graças

É Natal
É Natal quando recebemos a boa-nova de Deus.
É Natal quando a ressurreição se anuncia no horizonte.
É Natal quando chegam a justiça e a alegria entre os pobres.
É Natal quando o evangelho mesmo se faz carne. É Natal quando cantamos, rimos, oramos e anunciamos um reino de irmãos e irmãs.
É Natal quando o "nós" se torna abraço, promessa, futuro.
É Natal quando, em Cristo, recebemos o presente da vida.

Miguel Angel Cabrera*

- Momento de cânticos de louvor a Deus por Seu amor

Edificação

Dedicação

Oração final
Ó Deus, Tu que nos surpreendes com Tua vinda ao mundo na criança da manjedoura, dá-nos a disposição dos pastores, que largaram tudo e foram apressadamente a Belém. Dá-nos o dom de Maria, que olha os fatos com sabedoria, que enxerga além do aparente e percebe que Tu ages nas coisas que, para nós, parecem contraditórias e impossíveis. Deus amado, acompanha também nossas famílias. Conduze-nos pelo caminho do diálogo, pelos trilhos do companheirismo, sempre pronto para o perdão e a reconciliação, para que em nosso lar também possamos sentir e viver o a paz que Jesus veio trazer ao mundo.

Pedimos por aquelas pessoas que se encontram em dificuldades; pelas pessoas para quais falta o sentido de vida; por aquelas pessoas que enfrentam a enfermidade, o desemprego e a dependência. Faz com que a mensagem de Natal se transforme em motivo de esperança e confiança. Que todos nós possamos nos sentir guardados em Tuas mãos.
Vem a nós, neste dia de Natal e que, por meio da Tua Palavra, possamos enxergar além da nossa própria realidade.
Por Jesus Cristo, Teu Filho, que viveu e experimentou a nossa humanidade e que, contigo e o Espírito Santo, vive e reina de eternidade a eternidade.
Amém.

Erli Mansk e Rodolfo Gaede Neto
(Adaptado)

Bênção
Que o Senhor te acompanhe ao partires deste lugar.
Que vá à tua frente para iluminar o teu caminho.
Que caminhe ao teu lado para ser sempre o teu amigo.
Que vá atrás de ti para te proteger de qualquer dano.
Que Seus braços carinhosos estejam sobre ti
Para te sustentar quando o caminho for duro e estiveres muito cansado.
E, sobretudo, que viva em teu coração
Para te dar Sua alegria, Sua paz e renovar a esperança do Natal.
E assim, te abençoe o Deus trino: Pai, Filho e Espírito Santo, hoje e para sempre.


Liturgia elaborada por Amélia Tavares C. Neves